sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Novela com temática Espírita na Rede Globo


A Doutrina Espírita vem sendo tema recorrente em novelas da Globo. “Além da Vida” será a nova novela com das seis e contará, mais uma vez, com abordagem à luz do Espiritismo. Tendo como protagonista o ator Humberto Martins, um pai atormentado pelo espírito do filho (Jayme Matarazzo Filho) morto em um acidente e que volta do umbral para atrapalhar a vida amorosa do pai que se apaixonará perdidamente por sua ex-namorada (Nathália Dill).

A autora e os três atores principais estão estudando as obras do espírito André Luiz para poderem compor a trama e os personagens. O tema será a obsessão e a lei de causa e efeito. Segundo a autora a novela trará um diferencial para o Espiritismo. Pela primeira vez será mostrado uma chefe do umbral em vez de um chefe homem. A novela está prevista para estrear em março ou abril.
Fonte: http://www.febnet.org.br/site/noticias.php?CodNoticia=184

Magali e a Reencarnação


Entretenimento, educação e aventura são apenas alguns dos itens que caracterizam a “Turma da Mônica”.
Desde 1959, o criador Maurício de Souza desperta o interesse pela leitura em milhões de brasileiros que acompanham as peripécias vividas por Mônica, Magali, Cebolinha, Cascão, Chico Bento e outros diversos personagens que encantam o público mirim.
A Doutrina Espírita já foi tema de várias histórias da trupe, e na mais recente, a personagem comilona Magali aparece em uma trama intitulada “Reencarnação”, que conta a história de dois jovens apaixonados destinados a ficarem juntos.
Dividida em duas partes, a história cativante e divertida está disponível no link: www.monica.com.br/comics/reencarnacao/

sábado, 9 de janeiro de 2010

O Mundo pede socorro!


"Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!" [1]

São mais de dois mil anos e ainda me surpreende a sabedoria das palavras de Jesus! Se formos perscrutar profundamente seus ensinamentos, veremos que, todos eles têm profundidade, uma profundidade que, muitas vezes, não conseguimos perceber de pronto.

O título deste artigo pode sugerir que vamos falar da violência urbana ou coisas correlatas, mas não!

O mundo pede socorro! E como pede socorro! Assistimos, aturdidos, os canais de televisão mostrando o grito de alerta da natureza.

Hoje (07/01/2010) assistíamos ao jornal e o apresentador afirmava que, no hemisfério norte não se via temperaturas tão baixas há 30 anos!

Aqui no Brasil, são as chuvas torrenciais destruindo tudo por onde passam e, surpreendendo todas as pessoas que afirmam nunca terem visto tanta água em 30 ou 40 anos de suas vidas!

Imagine-se que, há 30, 40, 50 anos pouquíssimas pessoas se preocupavam com a Ecologia, com sustentabilidade, em cuidar do planeta em que vivemos. Todos os que lutavam por esses ideais eram taxados de vagabundos que não têm o que fazer!

O planeta estertora tal qual um organismo intoxicado por venenos mortais e tenta, a todo custo, expulsar tais fluidos venenosos!

As nações mais ricas, com algumas exceções, não têm a menor preocupação com a natureza.

O mundo está cheio de escândalos e hoje nos defrontamos com outro tipo de “escândalo”: a agressão ao planeta Terra! Vem-nos, então, a advertência crística citada no cabeçalho deste simplório artigo!

Esquecemos do ciclo natural da vida, onde todos deveríamos viver em harmonia e, me vem à mente o trecho do poema “Desiderata”: “Você é filho do universo, irmão das estrelas e árvores, você merece estar aqui; e mesmo que você não possa perceber, a Terra e o Universo vão cumprindo o seu destino.[2]

E nós? Qual destino estamos cumprindo? Como estamos cuidando da nossa casa planetária, da nossa nave mãe que nos transporta pelos espaços infinitos, em busca da perfeição?

Quando assistimos aos jornais, sempre ouvimos a mesma pergunta: por quê isso acontece? E têm aqueles que culpam Deus pelas tragédias!

Ora, estaria Deus construindo de forma indisciplinada nos morros, nas margens dos rios? Teria sido Deus quem criou o buraco na camada de ozônio? Estaria Deus poluindo os mares, rios, lagos, matas e florestas com objetos que vão levar, no mínimo, 100 ou 200 anos para biodegradar?

É verdade que, muitos flagelos naturais destruidores levam ao caos momentâneo, mas muitas vezes, a desídia humana os tem aumentado:

741. Dado é ao homem conjurar os flagelos que o afligem?

“Em parte, é; não, porém, como geralmente o entendem. Muitos flagelos resultam da imprevidência do homem. À medida que adquire conhecimentos e experiência, ele os vai podendo conjurar, isto é, prevenir, se lhes sabe pesquisar as causas. Contudo, entre os males que afligem a Humanidade, alguns há de caráter geral, que estão nos decretos da Providência e dos quais cada indivíduo recebe, mais ou menos, o contragolpe. A esses nada pode o homem opor, a não ser sua submissão à vontade de Deus. Esses mesmos males, entretanto, ele muitas vezes os agrava pela sua negligência.[3] (grifos meus)

Incrível como o ensino de O Livro dos Espíritos está atualíssimo!

Será que o ser humano esperará acabar todos os recursos naturais para despertar do seu sono egoístico e criminoso?

Jesus nos advertiu e sua advertência não deve ser apenas entendida no campo individual, afinal, Ele é o Governador Espiritual deste mundo, já apresentado nas sábias e inspiradas palavras de João:

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. [4]



[1] - Mateus, 18:7
[3] - KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 76ª Ed. FEB/Rio. Questão 741
[4] - João, 1: 1-4

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Fidelidade a Jesus e a Kardec

Talvez eu esteja me repetindo, mas não posso me furtar ao ensejo de conclamar mais uma vez que temos de ter fidelidade a Jesus e a Kardec!

A primeira tarefa mais difícil para todo aquele que se afirma cristão, é vivenciar o Evangelho. E para aquele que se afirma Espírita-cristão, a segunda mais difícil é ser fiel a Kardec.

Não é preciso ser intransigente, mas coerente, consciente das orientações contidas na Codificação.

Sei, sei: já escuto o clamor daqueles que se afirmam “mente aberta”, “prafrentex”: Kardec não disse tudo! Kardec não sabe tudo! Nunca afirmamos isso; afirmamos apenas que, como Espíritas, precisamos ser coerentes com os ensinamentos da Codificação.

Não é porque surge qualquer teoria ou tese que vamos incluir como postulado Espírita. Será que andamos esquecidos que a Doutrina Espírita está nas próprias Leis Naturais? Será que nos esquecemos que não poderemos tentar enxertos equivocados, sem graves responsabilidades para nós outros?

A Doutrina existe por si só. Ela se sustém, se perpetua!

É bem verdade que, como Espíritos ainda em evolução, não temos condições de compreender as nuances mais profundas das Leis Divinas: há coisas para as quais ainda não estamos preparados, isso em pleno século XXI!

Por outro lado, é preciso ter muito cuidado com as “novidades bombásticas”.

Kardec era de uma segurança tão impressionante que não tinha medo de indicar onde comprar e o preço de livros que condenavam a Doutrina Espírita. Ele queria que o Espírita ou simpatizante tivesse todos os meios para analisar com equidade e justiça e decidisse qual caminho seguir.

Ser fiel a Jesus e a Kardec não significa ser subserviente ou covarde diante de determinadas situações; não é faltar com a caridade quando o dever nos obriga a elucidar determinados equívocos ou posturas incoerentes com os princípios Espíritas.

Estudar e debater qualquer temática deverá sempre estar vinculado às orientações kardequianas para não parecerem moderninhas, porém vazias do conteúdo Espírita.

Já escrevi em outras oportunidades que existem expositores Espíritas que, em suas palestras falam de tudo quanto é ramo do conhecimento humano. São verdadeiras enciclopédias humanas. Mas, infelizmente, esquecem de Jesus e Kardec!

Esses tempos de transição pedem uma tomada de atitude coerente, porém, forte em relação ao assunto: desenvolver estudos profundos sobre a obra kardequiana e isso inclui também a Revista Espírita.

Façamos seminários, simpósios, encontros, semanas espíritas e quaisquer outros eventos buscando a mensagem kardequiana. Não quero dizer, com isso, que não vamos tratar de outros temas, mas entre um e outro, inserir Kardec. E, ainda no contexto dos outros temas, inserir Kardec.

Kardec está ultrapassado? Escuto isso há vinte anos, desde a minha época de juventude quando participava dos encontros de juventude e aqueles mesmos jovens, ou pelo menos a maioria deles, hoje são oradores, dirigentes, trabalhadores das casas Espíritas, as células do Movimento Espírita brasileiro.
Há livros novos? Precisam estar coerente com o Evangelho e a Codificação.

Espíritos fizeram “revelações”? Confrontemos com a Codificação.

Temos dúvidas? Confiemos em Jesus e fiquemos com KARDEC! Na melhor das hipóteses, estaremos sendo coerentes...

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...