domingo, 6 de junho de 2010

Entrevista com Divaldo Pereira Franco

Entrevista com Divaldo Pereira Franco para a Rede Amigo Espírita realizada na cidade de Jales/SP, logo após sua palestra



1. O difícil momento vivido pela humanidade está a solicitar uma postura coerente com o que já conhecemos do Evangelho de Jesus. Por que sentimos tanta dificuldade na vivência prática do amor?,

A criatura humana imantada aos vícios ancestrais considera um desafio qualquer tipo de mudança, especialmente as mudanças radicais e profundas do caráter. Por esta razão Jesus Cristo asseverou que é necessário morrer o homem velho, para nascer o homem novo. Esse renascimento é de natureza moral, espiritual.

Allan Kardec por sua vez, considerou que o verdadeiro espirita é aquele que empreenda a tarefa de ser hoje o melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje, lutando sempre contra as más inclinações.

Então natural, que de começo tudo isto constitua um desafio. E que este desafio nos iremos transformar em um hábito, até que o hábito se transforme em um costume que incorporaremos em nossa vida.

2. Há muita carência e angústia no mundo, apesar de todos os motivos de vivermos com alegria e otimismo. Por que o ser humano tende tanto para o lado negativo e difícil das situações?

O nosso processo antroposocio psicológico vem sendo um instinto para a razão.. somente a 10 mil anos é que adquirimos a consciência do si da nossa realidade. É natural que ajamos mais pelo instinto do que ajamos pela razão. É inevitável que essa tendência que esta arraigada na nossa consciência expresse-se pelo medo, a violência, com sentimentos generativos que nós iremos substituindo a pouco a pouco pelo sentimento da amizade, da fraternidade e do amor

3. Divaldo em relação a gripe suína, finais dos tempos, os efeitos da mulher fora do lar, que tipo de espíritos estarão reencarnando neste período de transição e quando se dará o início ao Mundo de Regeneração?

O mundo de Regeneração já começou, ocorre que não será de um momento para o outro. É uma transição muito longa. As criaturas normalmente acostumam-se a visão apocalíptica, a tragédia, o pavor. Mas não será este mundo físico, será um mundo moral. As transformações lentas, e nós estamos acompanhando em todos os seguimentos da sociedade.

4. Felizmente vemos o movimento espírita trabalhando bastante em favor do equilíbrio e da serenidade humana. O que podemos acrescentar ao nosso movimento espírita para torná-lo ainda mais eficiente na divulgação e vivência espírita?

Fidelidade a Jesus e a Allan Kardec. É uma época de modismos, de novidades sedutoras, em que mesmo os convidados podem ser atraídos para os desvios. Allan Kardec nos advertiu muito a respeito dos falsos profetas, inclusive os da erraticidade. Que nós sejamos fieis aos postulados doutrinários, que estaremos contribuindo para a fidelidade maior da divulgação, pelos exemplos, porque a humanidade esta cansada de palavras.

5. Como lidar serenamente com as críticas muitas vezes injustas que nos fazem?? Como seguir trabalhando com Jesus sem sentir-se envolvido pelas trevas?

De maneira muito fácil. Quando nós recebemos uma luz, somos o primeiro a ficar modificados, mas quando acendemos uma luz íntima então nós nos geramos uma sombra. Enquanto que a luz de fora produz sombra interior. A critica deve ser levada como um instrumento para avaliarmos o nosso trabalho. Há muitas criticas justas, que nos ajudam a reconhecer o nosso erro, a melhorar de conduta iria ser muito louvável, mas se a critica é injusta, não devemos dar valor, porque desta forma ela tomaria um caráter de realidade. Então antigamente a psicologia dizia: existe um observador e o observado. Agora a física diz: só há o observador. O observador que é observado pela observação do observo. Então quando alguém for injusto para comigo, eu confesso que não me incomodo, porque é inevitável, todos nós temos inimigos, o importante é não ser inimigo de ninguém.

6. Divaldo, com o crescimento do mercado editorial houve uma proliferação de obras que se dizem espíritas, no entanto, trazem em seu seio equívocos doutrinários. Como separar o joio do trigo, ou seja, de que forma estabelecer um critério eficaz para que o leitor tenha uma fonte segura do conhecimento espírita? E como a espiritualidade maior tem visto os livros que estão sendo editados dando destaque às trevas?

Os bons espíritos louvam tudo que é positivo e nobre. Nós deveremos não considerar como negativos, porque o fato de estarem divulgando o bem já é positivo. Mas a pessoa que começa o estudo da Doutrina pela codificação possui os instrumentos hábeis para distinguir a impostura da verdade, a mistificação e o que é legitimo. Não nos preocupemos, porque todo modismo cai e toda Doutrina que apavora tem um curso muito rápido. A nossa mensagem é de esperança, de paz e de iluminação. Esta previsto que naturalmente os aventureiros se encarregariam de criar embaraços, porque não tendo compromisso com a verdade, naturalmente que a pessoa que tem interesse em criar condições para as suas vantagens materiais e nisto peca pela sua própria paz.

Agradecemos a generosidade das perguntas e formulamos votos de muita paz para os nossos queridos telespectadores.

Vale a pena amar. Seja você quem ama, porquanto amando você estará em paz e estando em paz o mundo é melhor. Muita paz!!

Fonte:

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...