quinta-feira, 28 de março de 2013

ORIENTAÇÕES KARDEQUIANAS - IV


ORIENTAÇÕES KARDEQUIANAS - IV
Os maus Espíritos temem o exame; eles dizem: 'Aceitai nossas palavras e não as julgueis.' Se tivessem a consciência de estar com a verdade, não temeriam a luz. O hábito de escrutar as menores palavras dos Espíritos, de pesar-lhes o valor, distancia forçosamente os Espíritos mal intencionados, que não vêm, então, perder inutilmente seu tempo, uma vez que se rejeite tudo o que é mau ou de origem suspeita. Mas quando se aceita cegamente tudo o que dizem, que se coloca, por assim dizer, de joelhos diante de sua pretensa sabedoria, fazem o que fariam os homens - disso abusam.” [1] (destaquei)

Quem teme a verdade? Quem teme a luz? Quem teme o exame meticuloso? Certamente, quem está na mentira, quem está nas trevas e quem usa de subterfúgios.

Os Espíritos Reveladores deram a Kardec um meio muito simples de evitar o engodo: o crivo rigoroso de análise de qualquer, repito, qualquer mensagem, vinda de qualquer Espírito, por mais famoso que seja seu nome e isto inclui o médium que a recebeu.

Existem alguns médiuns que simplesmente não aceitam o exame de suas psicografias ou psicofonias, não importa quão esdrúxula ela seja fugindo das pessoas que podem o desmascarar, quando não são orientados pelo “Espírito Guia” a fazer isso.

Temos visto uma enxurrada de publicações ditas espíritas, que não passariam pelo mais simples crivo de análise kardequiana.

Revelações absurdas, ridículas, sem o menor fundo de verdade ou, o mais grave, atentando contra princípios da Doutrina de forma vergonhosa.

Textos atribuídos a André Luiz, Bezerra de Menezes que, nem de longe se aproximam do estilo desses Espíritos. Desenhos “mediúnicos” que mais parecem feitos por uma criança de dois anos!

O mais grave em tudo isso é, justamente, a falta de critério de muitas pessoas que aceitam tais informações como “verdades”.

Se colocarmos de molho quaisquer informações vinda de Espíritos ou homens, aguardando a resposta do tempo, o tempo dirá de que lado está a verdade.

O Espiritismo chegou a um patamar de divulgação impressionante, seja através da TV, das mídias sociais, diversos site na internet, livros, enfim. Ganhamos em quantidade, mas estamos perdendo em qualidade, lamentavelmente!

A situação hoje está assim: algum Espírito pensa em psicografar e o livro já está sendo vendido, sem a menor análise do seu conteúdo, bem diferente do que fazia Allan Kardec, que passava tudo por um crivo tão rigoroso que, se fossemos usar nos dias de hoje, 90% dos livros mediúnicos iriam para a lixeira. Isso mesmo: lixeira!

Já vi livros que falam que o Espírito retrograda e se desintegra, perdendo a sua consciência, que Espíritos elevados têm asas (isso mesmo, asas e não por uma metáfora: asas de verdade!), que existem reencarnação no mundo espiritual, que se algum Espírito cair nas águas do Rio Azul, citado em Nosso Lar, morrerá afogado e, pasmem, será cremado, livros que afirmavam textualmente que o mundo acabaria em outubro de 2000 e por aí vai.

E se questionamos tais informações, somos tachados de atrasados, inferiores, invejosos, ultrapassados e coisas do tipo.

Para estes, fica a orientação de Allan Kardec, no início deste texto!

Ao final quero deixar bem claro que não questiono a mediunidade de A ou B, mas o conteúdo e qualidade do que vem por ela. Simples assim!



[1] - KARDEC, Allan. Escolhos dos Médiuns, Revista Espírita, fevereiro de 1859)

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...