domingo, 7 de setembro de 2014

LINCHAMENTO MORAL!

LINCHAMENTO MORAL!

(...) Naquele que nem sequer concebe a idéia do mal, já há progresso realizado; naquele a quem essa idéia acode, mas que a repele, há progresso em vias de realizar-se; naquele, finalmente, que pensa no mal e nesse pensamento se compraz, o mal ainda existe na plenitude da sua força.[1]

Racismo, homofobia, xenofobia[2], preconceito e outras infelizes idiossincrasias do ser humano são o resultado da falta de compreensão e aceitação de que existem duas chagas morais, quais canceres, maculando a sociedade humana: egoísmo e orgulho. [3]

Para tais chagas existem dois antídotos perfeitos e de reação imediata: humildade e caridade! [4]

As afirmativas do Sr Allan Kardec ainda são bastante atuais, em pleno século 21 onde, com toda certeza, não passaria pela mente do insigne Codificador Espírita, o quanto estaríamos evoluídos materialmente, mas, tão distantes da vivência legitimamente cristã!

Não falo aqui de religião alguma. Falo da vivência dentro dos postulados apresentados por Jesus Cristo e que, independem desta ou daquela crença.

De que nos serve vivermos dentro dos nossos templos religiosos, orando, cultuando, emocionados até às lágrimas, se não conseguimos exercer os mais comezinhos deveres de fraternidade?

Somos todos irmãos e tal afirmativa não é feita aqui como simples metáfora. De fato, somos todos irmãos, Espíritos criados simples e ignorantes, em lento processo de evolução, a caminho da plenitude com Deus! [5]

A maior decepção das pessoas com as suas crenças equivocadas ocorre justamente no post mortem! Ao despertarem na vida espiritual e não encontrarem Deus à disposição dos seus caprichos, sentem todo o peso de tal decepção.

Veem, bem acima de si, aqueles que consideravam inferiores ou indignos de sua atenção e isso é uma tortura ainda maior porque, estando no mundo da verdade maior, não podem se esconder e nem esconderem seu interior, escancarado diante de todos! [6], [7]

Desejariam que existisse o inferno teológico, com seus demônios e seus tridentes, mergulhando-os em um tonel de fogo, lava e enxofre. Isso talvez fosse um refrigério!

A verdade é bem outra e os homens da Terra precisam compreender, o mais rápido possível, o quanto é imprescindível a reforma íntima, como propiciadora da paz interior, do desenvolvimento do Reino de Deus e da Sua Justiça dentro de si![8]

Por outro lado, quando alguém comete tais erros, torna-se alvo de toda uma sociedade, que passa a lançar reptos hostis, julgando e condenando antes mesmo que a Justiça humana profira sua sentença condenatória. E ainda que seja absolvido perante a Justiça, perante a sociedade, a condenação não tem limites.

É curioso ver como muitas pessoas são rápidas em condenar, apontando o dedo em riste, esquecidas da máxima de Jesus: “com a mesma medida com medires, será medido.” [9]

Temos o caso recente de uma moça, torcedora de um clube de futebol, que teve sua vida virada pelo avesso por um erro cometido em um momento de excitação!

Está, agora, sentindo o peso da condenação de toda uma sociedade que age como se pudesse atirar a primeira pedra. [10]

A mídia, por sua vez, explora tal fato de forma a auferir mais índices de audiência e seus responsáveis incorrem em erro[11].

904. Incorrerá em culpa aquele que sonda as chagas da sociedade e as expõe em público?

“Depende do sentimento que o mova. Se o escritor apenas visa produzir escândalo, não faz mais do que proporcionar a si mesmo um gozo pessoal, apresentando quadros que constituem antes mau do que bom exemplo. O Espírito aprecia isso, mas pode vir a ser punido por essa espécie de prazer que encontra em revelar o mal.” (destaquei)

Pergunto: se somos uma sociedade que, em sua maioria se afirma cristã, como podemos agir de tal forma? Qual seria a atitude cristã para o caso, independente das ações judiciais?

Mutatis mutandis[12], é a mesma situação, quando linchamos um criminoso, afirmando praticar a justiça quando, na verdade, cometemos um crime, quiçá, mais hediondo que o do próprio criminoso e nos tornamos incursos no crime de lesa-fraternidade perante as Leis divinas e teremos de responder por tal ato, hoje, amanhã ou depois! Não importa quanto demore, pois, “não sairemos de lá (do cárcere da nossa consciência[13]) até que tenhamos pago o último ceitil![14]

Eis que ela, a torcedora, sofre um verdadeiro linchamento moral e, me pergunto, se todos os que a condenam são puros o suficiente para atos deste jaez?

Jesus não condenou a Justiça, condenou a vingança e todas as formas de violência contra o próximo[15],[16].

Quem erra, deve responder pelo seu erro perante a Justiça humana e Divina. No entanto, a Justiça humana ainda está há anos-luz da perfeição da Justiça Divina que afirma, peremptoriamente que, “o amor cobre a multidão de pecados”![17]




[1] - KARDEC, Allan, in O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap VII, item 07, 112 ed.FEB.
[2] - Significa aversão a pessoas ou coisas estrangeiras
[3] - KARDEC, Allan, in O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap XV, itens 01 a 05, 112 ed.FEB.
[4] - idem, ibidem
[5] - idem, in O Livro dos Espíritos, 2ª parte, cap I, questão 115, 76 ed.FEB
[6] - idem, in O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap II, item 08, 112 ed.FEB.
[7] - idem, in O Céu e o Inferno, 2ª parte, cap VII, A Rainha de Oude, 40 ed.FEB.
[8] - Lucas, 17:21
[9] - Mateus, 7:2
[10] - João, 8:7
[11] - KARDEC, Allan in O Livro dos Espíritos, 3ª parte, cap XI, questão 904, 76 ed.FEB
[12] - Mudando o que deve ser mudado
[13] - KARDEC, Allan in O Livro dos Espíritos, 3ª parte, cap I, questão 621, 76 ed.FEB
[14] - Mateus, 5:26
[15] - idem, 5:21-22
[16] - KARDEC, Allan, in O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap IX, 112 ed.FEB.
[17] - I Pedro, 4:8

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Desencarna o ex-presidente da FEB Nestor João Masotti

Desencarnou no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, na tarde do dia 3 de setembro o companheiro Nestor João Masotti.

O Velório esta marcado para o dia 04/09 às 11:30 na capela 07 do Cemitério Campo da Esperança.

O Sepultamento ocorrerá no mesmo dia às 16:30

Por Antonio Cesar Perri de Carvalho

Foi o 15º presidente da Federação Espírita Brasileira. Nasceu em Pindorama (SP) em 21/6/1937, filho de Damiano Henrique Venâncio Masotti e Eloyda G. Masotti, ambos espíritas.

Graduou-se em Odontologia em Araraquara e exerceu a profissão por menos de um ano em Tupã. Atuou profissionalmente como funcionário público fazendário em Fernandópolis e São Paulo.

Sempre foi muito ativo no Movimento Espírita nas cidades já citadas do mesmo Estado, integrando desde a mocidade espírita até a direção de centro espírita. Atuou em eventos regionais, inter-estaduais e nacional de juventudes espíritas. Foi presidente (1974-1982) e vice-presidente (1982-1986) da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, integrando o Conselho Federativo Nacional da FEB. A convite do presidente Francisco Thiesen, na Sede da FEB, em Brasília, exerceu cargos de diretor (1986-1990) e secretário geral do CFN, vindo depois a assumir a vice-presidência (1990-2001) e a presidência da FEB. Participou ativamente da implantação das Comissões Regionais do CFN da FEB.

Exerceu o 21º. mandato de presidente da FEB: 2001-2013, mas licenciando-se em maio de 2012. No início de sua gestão como presidente procedeu à reforma e atualização da gráfica da FEB, a modernização das capas e formato dos livros. Durante seu mandato: foram realizados dois Congressos Espíritas Brasileiros (2007 e 2010); comemorações do Bicentenário de nascimento de Allan Kardec com emissão de selo comemorativo pelos Correios; Sesquicentenário de O Livro dos Espíritos com emissão de selo comemorativo pelos Correios e o “Projeto Centenário de Chico Xavier” (2010); foram cunhadas medalhas pela Casa da Moeda em homenagem a Chico Xavier (2010); Sesquicentenário de O livro dos médiuns(2011); Centenário da Sede Histórica do Rio (2011). Durante sua gestão, o CFN da FEB aprovou: Atividade de Preparação de Trabalhadores Espíritas (2002), que gerou o curso “Capacitação Administrativa da Casa Espírita”; Campanha “Construamos a Paz Promovendo o Bem!” (2002); “Plano de Trabalho para o Movimento Espírita Brasileiro (2007-2012)”; Campanha “O Evangelho no Lar e no Coração” (2008);Orientação aos órgãos de unificação (2009); Regimento Interno do Conselho Federativo Nacional da FEB (2011). A FEB apoiou: a criação do Movimento Nacional Em Defesa da Vida-Brasil sem Aborto; reforma das instalações da Fazenda Modelo e construção do Memorial do C.E. Luís Gonzaga de Pedro Leopoldo (MG); apoio aos filmes “Chico Xavier”, “Nosso Lar” e “E a Vida Continua…” Simultaneamente aos seus encargos junto à FEB, juntamente com os ex-presidentes Francisco Thiesen e Juvanir Borges de Souza trabalhou intensamente pela fundação do Conselho Espírita Internacional, o que se efetivou em 1992.  Exerceu também o cargo de 1º. Secretário e secretário-geral do Conselho Espírita Internacional. Neste último cargo criou a TVCEI, a EDICEI com livros traduzidos para vários idiomas, o Centro Administrativo do CEI em Brasília e promoveu Congressos Mundiais trienais: Cidade da Guatemala (2001), Paris (2004), Cartagena de Índias (2007) e Valencia (2010). Participou de dois eventos na ONU, em New York: o Millennium World Peace Summit  (2000) e da homenagem pelo Centenário de Chico Xavier (2010); atuou em palestras, seminários e vários eventos em vários países das três Américas, Europa e África.

No final de sua gestão efetiva na FEB houve desativação da gráfica e se iniciou as impressões por terceirização. Afastou-se da presidência, para tratamento de saúde, em maio de 2012, e em definitivo em março de 2013.

Ao retornar para Brasília, em agosto de 2013, depois de mais de um ano em tratamento em São Paulo, retornou a algumas reuniões mediúnicas e fez algumas palestras na FEB.  Nestor foi homenageado em vários momentos pelo atual presidente: embora a distância, no CFN de 2012, com coleta de assinaturas em livro e placa de prata; em sua primeira aparição pública após o início do tratamento de saúde na passagem do Museu Espírita de São Paulo para a FEB (abril de 2013), inauguração de sua foto na Galeria dos Ex-Presidentes no Espaço Cultural da FEB (novembro de 2013) e na abertura da Reunião Extraordinária do CFN da FEB – dia 23 de agosto de 2014 -, oportunidade que proferiu a prece de abertura. Esta foi sua última aparição pública e na FEB.
Conhecemos Nestor ainda solteiro bem no início dos anos 1970. Desde então acompanhamos sua trajetória, principalmente durante sua gestão na USE-SP e nos seus encargos na FEB e no CEI. Sempre apreciamos suas propostas doutrinárias, de unificação e de difusão. Coincidentemente nos mudamos para Brasília, por razões profissionais, dois meses antes dele assumir a presidência da FEB e atuamos com ele em ações na FEB e CEI aprendendo a valorizar e respeitar seus esforços e lutas empreendidas pela Causa. Nosso amigo abriu muitos caminhos e contribuiu enormemente para a difusão da mensagem espírita.

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...