sábado, 8 de abril de 2017

Nota breve sobre o passe na casa Espírita.

Nota breve sobre o passe na casa Espírita

Já pela segunda vez alguém nos questiona e dá, ao mesmo tempo, relatos sobre informações distorcidas, de cunho pessoal, sobre o passe e a prece na casa Espírita.


Há alguns anos, um amigo nos procurou para nos dizer que estava estarrecido por visitar um CE e ouvir o dirigente afirmar que todos devem tomar o passe e que, sair sem tomar passe pode acarretar problemas espirituais para a pessoa.

Também sair sem ouvir a prece final teria o mesmo efeito!

A mesma situação aconteceu há alguns dias com outro amigo meu que me disse ter levado uma “chamada” porque ia saindo antes da prece de encerramento, porque no CE ao qual compareceu, a prece é feita depois do passe.

Já temos conhecimento que, em determinados CE’s a prece é feita ao final do passe, mas em algumas, as pessoas são praticamente obrigadas a tomar o passe e/ou ficar para a prece.

Já outros inventam que, para assistir à reunião pública, tem de tomar o passe primeiro, para “entrar limpo”!

Pasmem! Isso dentro de um Centro Espírita.

Respondi ao meu amigo que tais fatos são invencionices de pessoas desavisadas, sem base doutrinária nenhuma.

Toma o passe quem precisa e quem quer, exatamente nesta ordem, porque, tem gente que precisa, mas não quer. E tem gente que é o verdadeiro “papa-passe”...

Se me vierem dizer que isso é orientação de Espíritos, também carece de fundamentação doutrinária!

O passe tomado nas famosas reuniões públicas, não é obrigatório e nem ninguém é obrigado a ouvir a prece final! A pessoa deve ser convidada para a prece, nunca obrigada!

Quero apenas abrir um parêntese para os casos de tratamento pelo passe magnético. Este, sim, tem um diferencial, pela sua própria característica.

Segundo preceitua Allan Kardec, “a magnetização ordinária é um verdadeiro tratamento seguido, regular e metódico” [1], diferente, assim do passe “genérico” aplicados nas reuniões públicas.

Neste caso específico, é dever do paciente seguir as orientações para o tratamento, evitando quebras na sequencia.

Assim, no tratamento pelo passe magnético, o paciente deve sempre tomar seus passes regularmente até orientação em contrário, pelo magnetizador, frise-se!

O resto é invencionice!






[1] - KARDEC. Allan, O LIVRO DOS MÉDIUNS, cap. XIV, item 175.

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...