domingo, 23 de junho de 2019

Soneto a GABRIEL DELANNE



Nos albores de uma nova Era para a Humanidade,
Às vésperas do Consolador Prometido por Jesus,
Que inundaria a nossa Terra de intensa Luz
Iluminando caminhos para a posteridade,

Chegava ao mundo, envolto em humildade
Espírito de escol, que em nome de Anjo se traduz
François-Marie Gabriel Delanne! Tua mente produz
Obras que as trevas afastam com sua claridade!

Atacas o labor, comprometido, presto!
Ergues tua voz, lanças teus escritos, cumpres tua missão
Prenhe de grandes realizações!

E o que, para muitos, seria um trabalho indigesto,
Tu o fazes, sem medo da intromissão
Da maldade que ainda habita nos corações

Garanhuns, 22/06/2019