domingo, 30 de dezembro de 2018

O aglomerado aberto das Plêiades ou M45 – conhecendo melhor (republicando)

O aglomerado estelar aberto das Plêiades é o aglomerado de estrelas mais brilhante em todo o céu. As Plêiades também são conhecidas por vários outros nomes tais como "Sete Irmãs", como M 45 pela classificação do catálogo Messier, e como "Subaru" no Japão. Este aglomerado está localizado na constelação do Touro (Taurus). Seis das estrelas nas Plêiades são visíveis sem o auxílio de telescópios. Aproximadamente 500 estrelas pertencem ao aglomerado estelar aberto das Plêiades e a maioria delas são fracas. Uma nebulosa de reflexão circunda estas estrelas.



Conhecendo melhor as estrelas das Plêiades

Dados essenciais:

descoberto por
(conhecido desde a pré-história)
outros nomes
M 45; "Sete Irmãs"; "Subaru" (no Japão)
constelação
Taurus
ascenção reta
03 horas 47,0 minutos
declinação
+24o 07'
distância
380 anos-luz
magnitude visual
1,6
dimensões aparentes
110,0 minutos de arco
idade
~100 milhões de anos




Outros fatos importantes

  • MUITO IMPORTANTE: fisicamente, a nebulosa de reflexão que voce ve na fotografia, provavelmente, é parte da poeira de uma nuvem molecular NÃO RELACIONADA com o aglomerado das Plêiades. Ela NÃO É formada por restos da nebulosa que, um dia, deu origem ao aglomerado das Plêiades. Simplesmente esta nuvem de poeira está cruzando o caminho do aglomerado das Plêiades. O fato desta nebulosa de reflexão não estar associada com o aglomerado aberto das Plêiades é comprovado por medições das velocidades radiais relativas delas. Mostra-se que a nebulosa e o aglomerado tem velocidades radiais diferentes, cruzando um ao outro com uma velocidade relativa de 11 quilômetros por segundo.
  • Modernos métodos de observação tem revelado que pelo menos 500 estrelas, na maioria muito fracas, pertencem ao aglomerado aberto das Plêiades
  • O aglomerado aberto das Plêiades se espalha por um campo de 2 graus no céu (isto significa 4 vezes o diametro da Lua!)
  • A distância do aglomerado aberto das Pleiades, 380 anos-luz, foi recentemente determinado a partir de medições de paralaxe diretas realizadas pelo satélite astrométrico Hipparcos, da European Space Agency (ESA). Este novo valor difere muito daquele que era aceito anteiormente, cerca de 408 anos-luz. Curiosamente, isto trouxe um problema para os astrofísicos. Agora é necessário explicar a contradição que existe entre este novo valor, que coloca as Plêiades bem mais próximas de nós, e as magnitudes aparntes comparativamente fracas das estrelas que formam este aglomerado.
Fonte: http://www.on.br/glossario/alfabeto/a/aglom_aberto_pleiades.html

NOTA DE CLÁUDIO LUCIANO: com relação à distância das Plêiades, hoje aceita-se como sendo em torno de 500 al (anos-luz)

NOTA 2 (Em 30/12/2018): O link do Observatório Nacional não está mais ativo e não conseguimos localizar o texto acima na nova página do site.