sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

MAGNETISMO EM O LIVRO DOS ESPÍRITOS (Parte II)


MAGNETISMO EM O LIVRO DOS ESPÍRITOS
(Parte II)
388 - Os encontros, que costumam dar-se, de algumas pessoas e que comumente se atribuem ao acaso, não serão efeito de uma certa relação de simpatia?“Entre os seres pensantes há ligação que ainda não conheceis. O magnetismo é o piloto desta ciência, que mais tarde compreendereis melhor.

No artigo anterior, deixei algumas perguntas no ar, justamente em face da afirmativa de Allan Kardec, que diz que “Os adeptos do Espiritismo, ao contrário, são todos partidários do magnetismo; todos admitem a sua ação e reconhecem nos fenômenos sonambúlicos uma manifestação da alma.” (1)


1 – TODOS os adeptos do Espiritismo são partidários do magnetismo?
2 – SE NÃO SÃO, estaria Allan Kardec em erro?
3 – SE Allan Kardec estava em erro no tema, porque os Espíritos não o corrigiram?

E ainda podemos trazer outros pensamentos de Allan Kardec:

O Magnetismo preparou os caminhos do Espiritismo, e os rápidos progressos dessa última doutrina são, incontestavelmente, devidos à vulgarização das ideias da primeira. Dos fenômenos magnéticos, do sonambulismo e do êxtase, às manifestações espíritas, não há senão um passo; sua conexão é tal que é, por assim dizer, impossível falar de um sem falar do outro. (2)

E agora, José?

O Senhor Allan Kardec, do alto de sua autoridade, vem afirmar:

1.      Que o Magnetismo preparou os caminhos do Espiritismo;
2.      Que os rápidos progressos do Espiritismo são por conta da vulgarização do Magnetismo;
3.      Que, entre um e outro, não há senão um passo;
4.      Que é impossível falar de um sem falar do outro.

Quando Allan Kardec questionava aos Espíritos sobre simpatia e antipatias terrenas, os Espíritos disseram, na questão 388, que entre nós havia ligações que não conhecíamos, mas teríamos, no Magnetismo o piloto de uma ciência para compreender tais fatos!

Ou seja, mais uma vez os Espíritos Superiores chamam a atenção para o estudo do Magnetismo!

E eu gostaria de lhe perguntar, prezador leitor curioso: quantas vezes você foi levado ao estudo do magnetismo, na obra de Allan Kardec, no Centro Espírita que frequenta? Ou Federativa?

Posso estar enganado, mas a conta cabe em uma só mão!

Assim nos perguntamos qual a razão de “esquecimento” sobre o tema e, o mais grave, por que nos dias atuais (e quando falo dias atuais, refiro-me de uns dez anos pra cá!), esta celeuma com os estudiosos Espiritas do Magnetismo?

Veja-se que já temos encontros estaduais, nacionais e até internacionais de Espíritas magnetizadores e há uma recusa constante por parte de parcela significativa do Movimento Espírita Brasileiro, em enfrentar de vez o assunto.

Vem à baila a atitude de Sir William Crookes, da Academia de Ciências de Londres (3), que não temeu o chamado para pesquisar, com o critério científico, as manifestações Espíritas e a Academia esperava com isso, dar o golpe de misericórdia no Espiritismo cada vez mais crescente!

Depois de três anos de laboratório, concluiu pela veracidade do fenômeno!

Onde estão os novos Crookes do Magnetismo?

Mas, as respostas às perguntas iniciais deste artigo ainda continuam pendentes!

1 – TODOS os adeptos do Espiritismo são partidários do magnetismo?
2 – SE NÃO SÃO, estaria Allan Kardec em erro?
3 – SE Allan Kardec estava em erro no tema, porque os Espíritos não o corrigiram?

Estou ansioso pela resposta a estas três perguntas, porque não tenho a devida competência para responde-las!



(1) - Allan Kardec, Revista Espírita, março/1858
(2) - idem, ibidem
(3) - Vide o livro Kate King, de Wallace Leal V Rodrigues